sexta-feira, dezembro 23

Pelas costas


Com um nó na garganta eu prendo meu choro
O seu nó na gravata eu já não dou mais
De tristeza, retorce meu estômago
Por que você torce contra mim?

Me meti de cabeça nessa, rapaz
E com os pés nas costas, pelas costas
Você fala mal de mim

Meu olho arregalado
Ainda molhado,
custo a acreditar
Seu jeito de ser errado
Fácil me deixava de lado
Você nunca me soube amar.

Nenhum comentário: